Fafe / Felgueiras

Você vai sentir-se em casa

Nesta categoria são inseridas as unidades de alojamento parceiras do Apilotos de Fafe e Felgueiras 

 Hotel Árvore 

Pousada Azul

Hotel Montanhas

FAQ - Perguntas Frequentes: Onde Ficar

O que tenho de fazer para reservar alojamento nas unidades por vós indicadas?

Contacta directamente a unidade ou contacta-nos.

As unidades hoteleiras podem ser encontradas na lateral esquerda no Menu na categoria Alojamento.
Para aceder às informações de cada unidade basta clicar em cima do nome da mesma.

As unidades aqui indicadas dão desconto às equipas que participam no Rali Serras de Fafe e Felgueiras 2020?

Nalguns casos são concedidos descontos, quando isso acontece indicamos o valor dos mesmos e sobre o que incidem.Em caso de necessidade contactem-nos.

As unidades hoteleiras aqui inseridas são recomendadas pelo Apilotos porquê?

Porque são por nós testadas em termos de condições de acesso, serviço de recepção, serviço de quartos, condições higiénicas, condições de acessibilidades, espaço dos quartos, ruído, espaços de lazer e por fim, a qualidade/preço.

Nossos melhores Restaurantes

Cantinho Rústico

Restaurante do Hotel

Cozinha Francesa

FAQ - Perguntas Frequentes:

Onde Comer

Como faço para encontrar Restaurantes no Concelho de Fafe e Felgueiras?

Na lateral esquerda, no Menu na categoria Onde Comer encontra as unidades por nós seleccionadas.

Para aceder a toda a informação das mesmas clique em cima do nome da unidade desejada, depois de abrir a página procure a informação que pretende.

Os critérios de escolha são vários, temos em consideração a localização do restaurante, o estacionamento, as condições da unidade, o atendimento, a qualidade e o preço, é na conjugação destas variáveis que são escolhidos.

Nalguns casos são concedidos descontos, quando isso acontece indicamos o valor dos mesmos e sobre o que incidem.


Que critérios utilizam para escolherem os Restaurantes?

Os critérios de escolha são vários, temos em consideração a localização do restaurante, o estacionamento, as condições da unidade, o atendimento, a qualidade e o preço, é na conjugação destas variáveis que são escolhidos.Nalguns casos são concedidos descontos, quando isso acontece indicamos o valor dos mesmos e sobre o que incidem.

Fafe, conhecida como a Sala de Visitas do Minho, situa-se entre as margens dos rios Vizela e Ferro e é essencialmente reconhecida pela sua gastronomia, património e belezas naturais.
A cidade tornou-se cosmopolita desde finais do século XIX, quando começaram a regressar os investidores emigrantes, oriundos do Brasil, que decidiram investir na cidade, com a construção de belos e luxuosos palacetes.
Esta nova vida urbana veio criar aquela que é conhecida como a Fafe dos brasileiros, ainda hoje bem presente nas praças e jardins públicos, nomeadamente o Jardim do Calvário, a Casa da Cultura, onde estão sediados atualmente o Museu das Migrações, o Museu da Imprensa e o das Comunidades, ou o Clube Fafense.
Mas Fafe apresenta muito mais que apenas a cidade. Em torno do Alto de Morgair, onde o concelho atinge uma altitude próxima dos 900 metros e nasce o rio Vizela, abre-se a paisagem de montanha, ancestral, genuína e inspiradora.
Muito próximo deste local, em Aboim e Várzea Cova existe uma das maiores manchas de carvalhal contínuo da Europa. Os percursos pedestres permitem a descoberta destes locais de uma beleza única.
Dizer também que esta área é particularmente conhecida pelas mais carismáticas classificativas do campeonato Nacional de Rali que durantes vários anos passou por Fafe e que regressa este ano, 2015.
Com tantas atratividades, o turismo começa a ganhar cada vez mais terreno no concelho, nomeadamente o turismo rural e de habitação, de onde se destaca a Aldeia turística do Pontido, junto à Barragem de Queimadela.
Quem passa por Fafe não pode ir embora sem visitar também, por exemplo, a Igreja Românica de Arões, a histórica Central Hidroelétrica de Santa Rita ou as interessantes Ruinas do Castro de Santo Ovídio.

Felgueiras de Ontem e de Hoje

Situado em pleno coração do Vale do Sousa, no distrito do Porto, o concelho de Felgueiras constitui um território de enorme beleza natural e paisagística, "onde o Sousa tem nascente, onde se ergue sorridente o belo Monte das Pombas..." de uma grande riqueza histórica, cultural e patrimonial, na qual sobressai o Mosteiro de Pombeiro, contemporâneo da fundação da nacionalidade.
O concelho de Felgueiras abrange cerca de 116 quilómetros quadrados, sendo constituído por 32 freguesias. Integra quatro centros urbanos: Felgueiras, sede do concelho, Lixa, Barrosas e Longra. Por decisão da Assembleia da República, a 13 de Julho de 1990, Felgueiras foi elevada à categoria de cidade e Barrosas à categoria de vila. Tal como Felgueiras, a anterior vila da Lixa recebeu distinção semelhante, passando a cidade no dia 21 de Junho de 1995, enquanto que a Longra viu reconhecida a sua pretensão de elevação a vila a 1 de Julho de 2003.

O documento mais antigo que refere a terra de Felgueiras, o testamento da condessa galega Mumadona Dias, fundadora da cidade de Guimarães, data de 959: "in felgaria rubeans villa de mauri". Igualmente é citada no Inventário dos bens, igrejas e herdades do mosteiro de N.ª S.ª da Oliveira de Guimarães: "Et in sause ad radice montis sancto felice de felgeiras rubeas villa".
Felgueiras deriva, por conseguinte, do termo felgaria, que significa terreno coberto de fetos que, quando secos, são avermelhados (rubeans ou rubeas).
Embora se desconheça o paradeiro, há historiadores que afirmam que Felgueiras recebeu um foral velho do conde D. Henrique confirmado por D. Afonso Henriques.
Contudo, somente o foral novo, concedido por D. Manuel I a 15 de Outubro de 1514, chegou até nós, existindo um exemplar no Arquivo Histórico Municipal.
As Inquirições de 1220 englobavam na terra de Felgueiras 20 freguesias, para além dos mosteiros de Caramos e de Pombeiro e as igrejas de S. Tomé de Friande e de S. André de Airães. Em 1855 Felgueiras foi transformada em comarca e passou a abranger mais 12 freguesias.

Bibliografia Recomendada:
FREITAS, Eduardo, "Felgerias Rubeas: subsídios para a história do concelho de Felgueiras". 2ª ed. Felgueiras: s.n.1985.
FERNANDES, M. Antonino, "Felgueiras de Ontem e Hoje".1989.